#SextouUniBF em homenagem ao Dia do Nordestino

09/10/2020

No dia 8 de outubro, ontem, o Brasil comemorou com diversos gritos e arrasta pé, o dia do nordestino!

Para comemorar esse povo tão alegre e contagiante do nosso Brasil, criamos um conteúdo exclusivo sobre eles, com informações, dicas e curiosidades acerca do Nordeste e seus costumes.

De fato, é importantíssimo conhecer outras culturas e se aprofundar um pouquinho mais na realidade de outras regiões do nosso grande território. Nada melhor do que um dia comemorativo para prestarmos nossa homenagem! Acompanhe com a gente!

Curiosidades Curiosas para os Curiosos de Plantão

Para começar, deixaremos uma curiosidade para você: Você sabia que a descoberta do Brasil se deu em solo nordestino?

A terra que hoje chamamos de Porto Seguro, foi o primeiro pedacinho do Brasil descoberto pelos navegadores portugueses, em 22 de abril de 1500. Portanto, os nordestinos são o rostinho do Brasil perante os estrangeiros, os primeiros descobertos e por muito tempo, a definição do que é “ser brasileiro”, já que até mesmo a capital nacional era localizada naquela região, sendo as outras pouquíssimo exploradas.

Se por acaso você for a Porto Seguro, não deixe de visitar o Museu do Descobrimento! Sendo considerado um dos pontos turísticos mais amados por todos, ele está localizado na Orla Norte, pertinho do mar. Não perca a chance de explorar um pouquinho mais sobre o nosso passado.

Mas voltando à história, com o passar do tempo: as expedições, os reinados e com o que chamamos de “interiorização”, todo o território brasileiro foi povoado, e as culturas, cada vez mais diferenciadas. Não é a toa que chamamos o nosso país de multicultural, não é mesmo?

Apesar de tudo, a cultura nordestina foi e continua sendo, uma das grandes referências brasileiras pela perspectiva dos estrangeiros, e isso é um grande prazer!

Luz, Câmera, Ação! + Versos e Ensaios

Cinema e Literatura serão misturados hoje, em homenagem a uma das obras que são referência em tantas partes do mundo, e nasceu ali, na pontinha nordeste do Brasil!

Sabe-se que, no Nordeste muitos e muitos artistas nasceram, foram criados, se desenvolveram e marcaram a arte brasileira. Um deles é o grande escritor Jorge Amado – baiano do início ao fim de sua vida – e considerado um dos maiores autores da literatura brasileira, bem como o criador das histórias que mais foram adaptadas para a TV e o cinema.

Escritor dos clássicos “Gabriela, Cravo e Canela” e “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, Jorge teve seus livros traduzidos para aproximadamente 80 países, além de ser adaptado para o braille.

Dentre todas as suas produções literárias, destaca-se uma em especial, a qual será tema – e sugestão – tanto cinematográfica quanto de leitura!

Assista (e leia também):

Capitães da Areia – O livro

O livro foi escrito em 1937, e tem como cenário a cidade de Salvador, na Bahia.

Era um costume de Jorge Amado gerar a ambientação de suas obras em território nordestino, em especial sua Bahia.

Isso acontecia pois o autor cresceu e viveu ali, e por isso, utilizava a literatura para descrever, explorar e denunciar os costumes da região, e todas as coisas/batalhas/conquistas pelas quais o Nordeste passou no decorrer da história.

Capitães da Areia não é diferente: a obra de 342 páginas conta a história de um grupo de menores abandonados, que convivem em conjunto em Salvador. Apesar de ainda crianças, os chamados “capitães da areia” cometem diversas atividades ilegais, visto que sobrevivem a base de furtos.

Tendo como personagens Pedro Bala, Professor, Gato, Sem Pernas, Volta Seca, João Grande, Pirulito, Boa Vida e posteriormente Dora, o grupo mora em um armazém abandonado, no caos das praias de Salvador. Por serem em sua maioria órfãos, os adolescentes passam os seus dias vagando pelas ruas da cidade e mendigando comida, além de praticarem pequenos furtos – em especial dos mais ricos.

Todavia, com o passar do tempo, o grupo passa a planejar furtos maiores, agora incentivados por um motivo maior. De fato, Amado os mostra como pequenas pessoas únicas e corajosas, as quais buscavam sua própria justiça, apesar de tudo.

O enredo se desenvolve até que cada integrante do bando segue seu caminho, de acordo com seus desejos e sua crença. Porém, apesar do fim, os capitães de areia deixaram o mesmo legado: o de resistência.

Capitães de Areia – O filme

A adaptação para o cinema foi dirigida por Cecília Amado e Guy Gonçalves, e foi ao ar em 2011, já com reconhecimento nacional e internacional, como o prêmio de Melhor Filme no Festival de Cinema de São Paulo, em 2012.

Protagonizado por autores conhecidos, como Jean Luís Amorim e Ana Graciela, o filme é uma versão bastante fiel à obra original, e tem o rostinho Brasileiro que traz uma familiaridade inegável.

Inclusive, até mesmo a trilha sonora foi composta por um nordestino nato, o icônico Carlinhos Brown, autor de 8 músicas presentes no longa-metragem, sendo destaque a “Capoeira Futuro”.

Se despertamos a sua curiosidade, aproveite para ver o trailer, aqui  agora mesmo.

A cultura nordestina é o que torna as obras acima, verdadeiramente únicas. Comemore o dia do nordestino as prestigiando!

Faça você mesmo!

Por fim, em nossa sessão #FaçaVocêMesmo da semana, resolvemos te ensinar dois costumes nordestinos, que segundo eles, fazem toda a diferença. Quem sabe, se você tentar aí em sua casa, pode funcionar?

Vem com a gente!

Costume #1 – Gastronomia inconfundível

Em primeiro lugar, temos os famosos pratos nordestinos, todos irrigados de bastante tempero e muita alegria!

Dentre os pratos típicos, estão:

  • Carne de sol (oriunda principalmente do litoral nordestino);
  • Acarajé (especialidade da Bahia);
  • Caruru (prato especial, servido na festa de Cosme e Damião);
  • Canjica (especiaria da tradicional Festa Junina).

Todos os pratos são marcados pelo sabor forte, ora apimentado, ora salgado, ou ora muito doce. Ingredientes pontuais, como o milho, a carne e os frutos do mar, todos brasileiríssimos, e é claro: um toquezinho do cozinheiro nordestino.

De uma coisa temos certeza: você pode até fazer #vocêmesmo, mas o sabor não ficará idêntico ao nordeste. Para provar da fonte original, recomendamos uma viagem e um itinerário completo por aquelas terras; você topa?

Para finalizar nossa conversa sobre gastronomia, deixaremos a receita do Caruru aqui!

Costume #2 – A tradicional arte da dança

A Capoeira é uma invenção nordestina que, sem sombra de dúvida, forma a identidade brasileira que conhecemos.

A dança inspirada na luta, tem como origem a prática dos escravos africanos que chegaram ao Brasil. Ao som do berimbau, é costume formar rodas e praticar a capoeira, entoando músicas típicas com o acompanhamento das palmas.

Essa prática é praticada majoritariamente pelo povo de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, mas é conhecida pelo Brasil inteiro.

Dito isso, nos despedimos por aqui. Esperamos que por meio deste conteúdo você possa ter conhecido – e admirado – um pouco mais da cultura nordestina. E para os nordestinos: FELIZ DIA!

Se Jorge Amado estivesse aqui, ele diria que…

“…é caminhando pelas ruas de Salvador que eu me sinto à vontade!”

icon icon icon icon

Nossos contatos

E-mail
icone contato@unibf.com.br

Cadastre seu e-mail

Esta página faz uso de cookies para melhorar o seu desempenho e funcionamento do nosso site. Utilizando os cookies, estamos coletando e armazenando temporariamente alguns dados pessoais. Para mais informações, disponibilizamos nossa Política de Privacidade e Termo de Uso.